O espetáculo das Quaresmeiras na encosta da serra

Não estamos na Primavera, mas o cenário na propriedade da família Rigon, na encosta da Serra do Rio Rastro, lembra muito a estação das flores. Todos os anos nessa época a família tem o privilégio de desfrutar dessa paisagem esplendorosa que as Quaresmeiras proporcionam.

A Quaresmeira, tipo de jacatirão que tem esse nome porque floresce na quaresma, está em plena florescência. O roxo vibrante misturado com o rosa e o verde das plantas contrasta com o azul do céu e prende o olhar, arrancando suspiros de prazer em meio ao êxtase de poder apreciar tamanha beleza escondida entre os cânions da magnífica serra.

Quaresmeira – A flor que anuncia a Páscoa

A Quaresmeira também é conhecida como cuipeúna, manacá-da-serra, flor-de-maio, flor-da-quaresma, jacatirão-de-capote e pau-de-flor. As espécies de maior ocorrência na Mata Atlântica são a Tibouchina mutabilis e a Tibouchina sellowiana.

É uma espécie pioneira, característica da encosta úmida da Serra do Mar que ocorre do Rio de Janeiro até Santa Catarina. É encontrada quase exclusivamente na mata secundária, chegando, por vezes, a dominar a paisagem e podendo viver de 60 a 70 anos.

Elas têm esse nome porque parte da floração mais intensa é próxima ao período religioso da Quaresma, que vai da quarta-feira de cinzas ao domingo de Páscoa, período de reflexão que antecede a Páscoa para os católicos. Outra coincidência: a cor símbolo da Páscoa é o roxo, mesma tonalidade de cor das flores da quaresmeira.

As flores são solitárias, grandes, vistosas e duráveis. Desabrocham com a cor branca e gradativamente vão se tornando violáceas, passando pelo rosa. Esta particularidade faz com que na mesma planta sejam observadas flores de três cores.

Cabanha da Serra

Que a Serra do Rio do Rio do Rastro, localizada no município de Lauro Müller, é uma atração que encanta pessoas de todos os cantos do país, todos sabem. Porém, poucos ainda conhecem um local no município, em meio aos Cânions da Serra, que está sendo preparado para receber turistas de todo o mundo.

A propriedade da família Rigon, um projeto idealizado pelo empreendedor Mercilo Rigon, encanta qualquer pessoa que conhece o local, definido por muitos, como paradisíaco.

Para chegar até a fazenda, é necessário subir por uma estrada de chão, denominada de Serrinha, já que as inúmeras curvas e o aclive acentuado recordam a Serra do Rio do Rastro.

O empreendimento deverá ser aberto ao público em 2014. A propriedade possui 300 hectares e conta com 30 açudes, um pomar, três casas para moradia, piscinas, 50 trilhas que levam a locais fantásticos e um salão de festas.

 

Acesse para ler a reportagem e ver mais imagens – Fonte e imagens: Sul in Foco – 30/03/2013.